domingo, 27 de agosto de 2017

Miniatura Marvel Nº 56 - Deadpool

Miniatura Marvel Nº 56 - Deadpool

Deadpool foi criado para ser o personagem politicamente incorreto da Marvel. Não é à toda que sua criação se deu quando os quadrinhos mergulharam em uma espiral descendente de mediocridade e falta de criatividade, a saber, os anos 90. O chamado Mercenário Tagarela é a síntese de uma Era dos quadrinhos em que os desenhos eram super valorizados e os roteiros eram literalmente descartáveis e relegados à um total segundo plano. Uma fase fútil e descartável das HQs de super-heróis. A própria origem de Deadpool mostra que o homem por trás da máscara (um cara simplesmente conhecido como Jack), era uma pessoa sem princípios, grosseiro e violento. Por mais que o cinema tente vender um personagem diferente, é importante lembrarmos quem Deadpool realmente é nos quadrinhos.

Miniatura Marvel Nº 56 - Deadpool

Para os fãs do personagem sua peça na Coleção de Miniaturas Marvel Eaglemoss ficou muito boa em minha opinião. Os detalhes do uniforme estão bem modelados, e todos os adereços que fazem do personagem um misto de duende com ninja, estão presentes. O cinto com recursos militares, bem como o coldre na lateral direita ficaram bons. O coldre marrom, aliás é sustentado por faixas desta mesma cor que se unem na região peitoral esquerda e alcançam então o pescoço. Um detalhe muito usado nos personagens dos anos 90. Exemplo é o Ciclope dos anos 90, que usava algo muito semelhante.

Miniatura Marvel Nº 56 - Deadpool

A espada na mão esquerda e a arma cano longo na direita também estão boas. As bainhas nas costas, que servem para guardar suas espadas ninja, são marcantes e muito bem apresentadas na peça. O uniforme possui uma separação muito clara entre as partes vermelho e preto, e isso ficou muito bom na peça. Podemos notar, por exemplo um alto relevo que contorna toda a separação entre essas partes de cores diferentes. Isso ficou legal pois nos dá a impressão de que o uniforme não é uma simples malha, mas é, na verdade, algo mais consistente e rígido. No geral não tenho queixas da peça. Posso dizer que sua riqueza de detalhes é um diferencial.

Miniatura Marvel Nº 56 - Deadpool

A origem de Deadpool é cercada de mistérios e lacunas. Jack era o nome que o homem por trás da máscara usava desde a adolescência, quando entrou para o exército canadense. Dono de uma mente instável e uma enorme inclinação para a violência, Jack não tardou a entrar para a vida de mercenário. Exercendo este ingrato ofício, Jack foi ferido mortalmente e resgatado quase morto por um casal que, movido por compaixão o recolheu e o tratou. O casal chamava-se Wade e Mercedes Wilson. Muitos dias depois, já recuperado, Jack agradece seus salvadores atacando-os e tentando roubar a identidade de Wade. Na luta, Jack acaba por matar Mercedes. Talvez abalado, ou tentando fugir do crime hediondo que praticara, Jack passa a acreditar que seu nome era Wade Wilson. Voltando a agir como um mercenário, Jack (ou agora Wade Wilson) desaparece do radar e viaja o mundo (Ásia e Oriente Médio) como um matador de aluguel.

Miniatura Marvel Nº 56 - Deadpool

Retornando à América, Jack fica sabendo que está com câncer e se voluntaria para o programa Arma X do Governo Canadense. O programa fazia experiências clandestinas usando genes mutantes e é o mesmo que deu origem ao Wolverine que conhecemos hoje. As experiências com Jack foram parcialmente bem sucedidas, pois o dotou de um fator de cura extremamente eficaz, no entanto desfigurou seu corpo. O Programa tentou levar Jack à campo, apenas para perceber o quão instável mentalmente ele era. Assim, rejeitado pelo programa, Jack é levado à uma Instalação do Governo Canadense para super-humanos que saíram dos trilhos. Foi lá que Jack assumiu o codinome Deadpool (algo como Lista Negra em português). A lista, no caso referia-se à uma lista real sobre a qual o detentos apostavam quem seria o próximo à morrer nas mãos dos carrascos que dirigiam o local. Mas, superando todas as expectativas, Jack não apenas sobrevive como lidera os detentos em uma fuga, matando seu principal algoz, o assistente Ajax.

Miniatura Marvel Nº 56 - Deadpool

Adotando o nome de Deadpool, Jack ou Wade Wilson, como a maioria dos leitores o chamam, voltou a vida de mercenário ganhando dinheiro trabalhando para diversos chefões do crime. O ponto forte do personagem sempre foi seu sarcasmo e humor negro. Isto conquistou uma legião de fãs que, talvez cansados da conotação sombria e angustiada que muitos heróis tomaram no final dos ano 80, passaram a ovacionar Deadpool como se ele fosse o novo fenômeno dos quadrinhos, algo como um novo Wolverine. Com o tempo as histórias do personagem acabaram por serem um local para roteiristas e desenhistas extravasarem suas críticas ao que quer que fosse, parodiando e escrachando tudo que fosse convencional dentro das HQs. Por isso, recursos como metalinguagem e a quebra da 4ª parede (recurso no qual o personagem percebe-se como fictício e tenta dialogar com o leitor) sempre estiveram presentes.

Miniatura Marvel Nº 56 - Deadpool

Deadpool só possui a fama que tem porque realmente vivemos em um Mundo surreal, no qual as notícias parecem cada dia mais ficcionais. Isso ampara o uso de personagens que trafegam nessa linha entre o surrealismo, a violência desmedida e a total ridicularização de tudo e de todos. No Brasil, programas de TV como Pânico na TV, entre outros, foram por este caminho na tentativa de capitanearem sucesso. A questão é que, embora até possa ser divertido, ações destituídas de quaisquer princípios acabam por descambar e ferir pessoas, física ou emocionalmente. Deadpool talvez seja apenas uma fantasia escapista e que acaba por divertir, mas só. Diferentemente de outros personagens que evocam questionamentos e inspiram jovens e crianças.

Miniatura Marvel Nº 56 - Deadpool

O filme de Ryan Reynolds trouxe alguns elementos dos quadrinhos, dentre eles a ridicularização de tudo e de todos, embora de uma forma mais contida e cuidadosa. A violenta e maligna índole de Jack também foi escondida para deixar o personagem mais aceitável, que é visto mais como vítima de um sistema do que como coparticipante dele. Posso dizer que gostei do filme, há muita violência gratuita, mas o filme é o que mencionei acima, escapismo. Mas não há problema nisso. No fim, talvez seja isso que o Mundo, assolado pelos fantasmas atuais, busque.

Grande abraço!!

2 comentários:

  1. Bom dia, Marcelo

    Como sempre, um excelente post de outro personagem que era desconhecido do grande público, mas que se tornou um queridinho após o lançamento do filme...mas sei lá, meio que eu sempre achei o humor dele meio forçado.
    Enfim, gostaria de uma opinião sua acerca de um assunto que eu vi em um site outro dia: acha que a coleção de Miniaturas DC " A Noite Mais Densa" também será lançada no Brasil? Seria uma pena não ter essas preciosidades na prateleira.

    Bom feriado!
    Sergio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Sérgio!

      Valeu pela presença. Só peço desculpas pela minha demora em responder. Estou com bebê pequeno e sabe como é... rs rs rs

      Agradeço o comentário e fico contente que tenha gostado!

      Concordo com você. Acho o Deadpool um personagem vazio. Não que isso também não tenha seu lugar na arte, mas acho que não é nada além disso. Um personagem que apenas serve para divertir e não conseguimos retirar outras reflexões acerca de suas motivações, carga dramática ou mesmo ideais.

      Sobre a coleção a Noite Mais Densa a Eaglemoss não se posicionou acerca disso. De minha parte eu acharia muito vantajoso para eles lançarem na esteira desta da DC que acabou de acabar no Nº 120. Se eles esperarem para lançar pode ser que as pessoas percam o interesse. Que colecionador na coleção regular da DC não iria querer completar sua estante com os personagens desta coleção a Noite Mais Densa? Eu mesmo seria um.

      Vamos seguir acompanhando!!

      Abcs!!

      Marcelo

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Posts Relacionados