segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

Miniatura DC Nº 20 - Donna Troy

Miniatura DC Nº 20 - Donna Troy

Com uma vida de grande sofrimento emocional, Donna Troy vem triunfando não apenas sobre o mal no mundo físico, mas também em suas batalhas interiores. Conhecida por diversos pseudônimos ao longo de sua carreira (Moça-Maravilha, Tróia, Darkstar, Mulher-Maravilha ou simplesmente Donna Troy), esta heroína possui um rico histórico ao lado dos principais heróis adolescentes da DC, ao lado dos quais cresceu em grandeza e heroísmo. Hoje investigaremos os detalhes de sua peça dentro da Coleção de Miniaturas DC e veremos também os principais eventos que marcaram sua sofrida e heroica vida. 

Miniatura DC Nº 20 - Donna Troy

A miniatura de Donna Troy a apresenta em sua indumentária mais famosa, embora não a mais clássica. Eu diria que a mais clássica é sem dúvida nenhuma seu traje todo vermelho com apenas algumas estrelas com o qual ficou conhecida em seus primeiros anos de heroísmo ao lado do grupo de heróis adolescente conhecido como "Titãs". Confesso que gosto mais do uniforme clássico, no entanto este uniforme com o qual ela foi modelada nesta peça traduz mais sua personalidade atual. Não há grandes adereços no traje, ficando mais evidente a constituição "ESTELAR" do tecido da roupa. Presente dos Titãs da Mitologia (seres divinos adorados em tempos antigos), este traje foi constituído a partir de um tecido estelar que brilha com a luz das estrelas e também encerra dentro de si um mapa para Nova Cronos (lar dos Titãs), ou seja, é como uma janela para as estrelas.

Miniatura DC Nº 20 - Donna Troy

A ausência de adereços na peça acaba por chamar atenção para outros pontos e, obviamente não há como não perceber os atributos físicos da heroína amazona, sua compleição forte, curvas e robustez corporal. O cabelo também está bem modelado, embora em algumas peças que pude examinar há pequenos defeitos de pintura entre o término do cabelo e o início do rosto. Achei curioso a postura de Donna nesta peça. Se observarmos a miniatura de frente ou de costas perceberemos que ela encontra-se em ligeira inclinação lateral da pelve. O que nos passa um postura curiosa de feminilidade e sensualidade, porém de difícil descrição. Achei interessante e bem sacado esse detalhe, o que tira a peça de uma posição simplesmente estática em pé.

Miniatura DC Nº 20 - Donna Troy

A história de Donna está intimamente entrelaçada com a de outra grande heroína do universo DC, a Mulher-Maravilha. Em sua infância na Ilha de Themyscira, a princesa Diana (a futura Mulher-Maravilha) vivia sozinha enquanto única criança da Ilha Amazona. Isso a fazia brincar sempre diante do espelho, simulando estar com uma "coleguinha". Ao perceber a alegria de Diana, uma feiticeira chamada Magala usou sua magia para trazer à vida a amiguinha "imaginária" de Diana a partir de uma parcela de sua alma. Nascia assim Donna, em tudo parecida com sua irmã, desde aparência até na grandeza de alma. Donna seria portanto a 2ª Princesa de Themyscira. No entanto, um ser maligno chamado "Anjo Negro" raptaria a pequena Donna forçando-a a viver um eterno ciclo de vida-morte e ressurreição em diferentes realidades nas quais apenas uma coisa era certa, sua morte ainda jovem e o sofrimento. Após diversas vidas de sofrimento, Reia (uma das Titãs da Mitologia) salva Donna e a leva para Nova Cronos onde, ao lado de diversas outras crianças resgatadas de diversos mundos, passa a receber treinamento e, definitivamente, um lar.

Miniatura DC Nº 20 - Donna Troy 

Donna recebe não apenas treinamento, mas também um sobrenome "Troy" (Tróia em português), em homenagem à uma cidade que outrora havia adorado os Titãs. Com 13 anos Donna é enviada à Terra para lutar pela verdade e justiça, enquanto seus outros amigos retornam também aos seus respectivos mundos com função semelhante. Na Terra, e com as memórias apagadas do tempo em que viveu em Nova Cronos, Donna torna-se a Moça-Maravilha e passa a lutar ao lado dos jovens heróis adolescentes chamados "Titãs" (Dick Grayson (Robin), Wally West (Kid Flash) e Roy Harper (Ricardito). O 1º confronto de Donna com seu passado foi o embate contra "Esparta", uma das crianças treinadas em Nova Cronos ao lado de Donna que enlouquece e tenta destruir os Míticos Titãs. Com a ajuda dos amigos heróis, Donna derrota Esparta e, após este combate, seu uniforme é alterado pela primeira vez (um presente dos Titãs de Nova Cronos), ganhando uma indumentária semelhante à de um gladiador já com o tecido estrelado embutido nele.

Miniatura DC Nº 20 - Donna Troy 

Após este período, uma Donna mais madura, fazia parte dos Novos Titãs (Asa Noturna, Ciborgue, Mutano, Ravena e Estelar) e conheceria o professor universitário Terry Long, com o qual se casaria e teria um filho (Robert). Com uma vida conjugal tumultuada em função do constante perigo a que submetia sua família, Terry acaba por deixar Donna, levando seu filho Robert com ele. Donna amava sua família, tanto que neste processo ela inclusive abre mão de seus poderes para proteger sua família, o que não adiantou muito em relação às ameaças que sofriam. Após o rompimento do casamento, e sem poderes, Donna se refugia na Tropa intergaláctica conhecida como Darkstars (guerreiros pela paz universal semelhantes à Tropa dos Lanternas Verdes). Nesse ponto a tragédia bate à porta de Donna novamente quando seu ex-marido e filho morrem em um acidente de carro. Esse fato a leva de volta às sua origens na Ilha Themyscira. Lá Donna cura parte de suas feridas, tem seus poderes restaurados pela Rainha Hipólita e resgata sua amizade com Diana, com a qual passa viver em um apartamento em Nova York. 

Miniatura DC Nº 20 - Donna Troy 

Após este período Donna continuaria lutando ao lado dos Novos Titãs e acabaria por morrer nas mãos de um robô corrompido construído pelo Superman. Por obra dos Titãs de Nova Cronos Donna seria ressuscitada para protegê-los. No entanto, o plano das divindades era provocar uma imensa guerra entre mundos para que eles voltassem a ser alvo de adoração pelos povos. Os Novos Titãs (heróis amigos de Donna) e os heróis do grupo Renegados salvam Donna e restauram suas memórias derrotando por fim os Titãs de Nova Cronos. Neste processo Donna descobre a existência do Multiverso e que as vidas que vivera quando era criança em várias realidades era, na verdade, a existência de cada Donna pertencente a cada Universo paralelo. Inclusive sua Nêmese original (Anjo Negro) era uma "Donna" de uma realidade paralela que almejava destruir todas as outras de cada realidade. Assim, Donna Troy descobriu que, em função das várias vidas que vivera, ela era na verdade todas as "Donnas" do Multiverso. Este conhecimento deu a ela a possibilidade de ser uma peça chave na Saga "Crise Infinita" de Geoff Johns e George Perez (2005-2006). Após "Crise Infinita" Donna chegou a a ser ungida "Guardiã do Multiverso" e até a assumir o manto de Mulher-Maravilha, enquanto Diana se recolhia para um descanso sabático.

Miniatura DC Nº 20 - Donna Troy 

Toda esta história ocorreu antes do Reboot da DC conhecido como "Novos 52". Sendo que, antes deste evento, Donna atuava em uma nova versão da equipe de heróis Titãs. Como guerreira Donna não tem igual, rivalizando inclusive com sua "irmã" a Mulher-Maravilha. Detentora de força, resistência e velocidade fenomenais, ela possui ainda inteligência ampliada, capacidade de voar e grande facilidade de aprender novas línguas. Soma-se a isso a possibilidade de imitar a voz ou som de qualquer criatura viva. Como podemos ver aqui, esta é uma personagem com um longo histórico dentro do Universo DC. Esta é Donna Troy!! Para mim a eterna Moça-Maravilha!!

Abraço à todos!

sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

Coleções Históricas Marvel - O que já saiu? - Atualizado Outubro de 2016!!


Olá amigos... Em abril de 2012 vimos chegar às bancas a 1ª edição de uma nova proposta da Editora Panini na direção de relançar clássicos da literatura quadrinística super-heroica. A ideia era trazer histórias clássicas em encadernados temáticos retrô, com preço acessível e acondicionados em uma capa protetora (também temática). A proposta parecia uma tentativa de substituir as chamadas "Bibliotecas Históricas Marvel" que, por algum motivo ainda difícil de entender, não deram muito certo no Brasil em se tratando de vendas. Esta nova proposta se chamaria "Coleção Histórica Marvel" (CHM). A iniciativa foi dando certo e percebemos que o leitor brasileiro valoriza sim a literatura clássica e, para nossa alegria, outras sequências temáticas vieram. Esta matéria tem o objetivo de resgatar o que já saiu até aqui bem como ir atualizando os novos lançamentos desta incrível iniciativa.

Nº 01 - Capitão América: Origem e Histórias ClássicasNº 02 - Thor: Histórias ClássicasNº 03 - Homem de Ferro: Origem e Histórias ClássicasNº 04 - Os Vingadores: Histórias Clássicas.

O primeiro lançamento em abril/2012 contemplou os três grandes pilares da Marvel: Capitão AméricaThor e Homem de Ferro, encerrando a 1ª caixa com um encadernado dos Vingadores (primeira figura desta matéria). A grande surpresa veio pouco mais de 01 ano depois em agosto de 2013 com o lançamento de CHM - Homem-Aranha. Essa série do Aranha é a que conta atualmente com o maior número de encadernados, lembrando que a cada 04 volumes o leitor ganha a caixa temática para acondicionar os livros.

Nº 01 - Confrontos com o Duende Verde; Nº 02 - Confrontos com o Dr. Octopus; Nº 03 - Confrontos com o Lagarto; Nº 04 - Confrontos com o Sexteto SinistroNº 05 - Confrontos com o Abutre e KravenNº 06 - Rivalidades com o Rei do CrimeNº 07 - Saga sobre a Misteriosa "Placa de Argila"; Nº 08 - Encontros com outros heróis: Luke Cage, Viúva-Negra, Homem de Gelo, Nova, Punho de Ferro, Nick Fury e o Mestre do Kung-Fu.

Nº 09 - Confrontos com Kraven, o Camaleão e participação especial de Kazar; Nº 10 - Confrontos com o Lagarto, Morbius - O Vampiro Vivo e o Lobisomem, além da participação especial do Dr. Estranho e Motoqueiro Fantasma; Nº 11 - Confrontos com um Abutre impostor e com um Harry Osborn enlouquecido; Nº 12 - Grandes Encontros: Jaqueta Amarela, Vespa e o vilão Equinox / Punho de Ferro, Filhas do Dragão e o vilão Serpente de Aço / Tigresa e Kraven / Destrutor, Thor e o Monolito Vivo.

Na esteira do sucesso com as edições históricas do Aranha foi a vez dos Vingadores receberem o tratamento que mereciam ganhando também sua sequencia de encadernados da CHM. Abaixo podemos acompanhar o que já saiu da equipe mais poderosa da Marvel.

Nº 01 - Parte da Saga de Thanos; Nº 02 - Parte da Saga de Thanos; Nº 03 - Parte da Saga "A Guerra Kree-SkrullNº 04 - Confrontos com UltronNº 05 - Confrontos com o Dr. Destino. Participação especial do Quarteto Fantástico e Attuma - O ditador Atlante; Nº 06 - Falcão, Capitão América e Shield; Nº 07 - Homem-Formiga e Vespa; Nº 08 - Vingadores x Esquadrão Supremo e mais, Cavaleiro Negro e Pantera Negra.

Os X-Men também ganharam sua série da CHM. Confira abaixo os volumes que já saíram!!

Nº 01 - Aventuras Primordiais e a Formação Clássica do GrupoNº 02 - A primeira reformulação dos X-Men (Anos 70!!) com a chegada de novos heróis; Nº 03 - Confrontos com os Sentinelas e também o Clube do InfernoNº 04 - Confrontos com os Vingadores, Irmandade de mutantes e Magneto - Participação Especial do Demolidor e Viúva-Negra; Nº 05 - CHM - X-Men; Nº 06 - CHM - X-Men; Nº 07 - CHM - X-Men; Nº 08 - CHM - X-Men.

E a família mais famosa da Marvel também possui seus clássicos! Aliás, sempre vale lembrar que foi com ela que o Universo Marvel da Era de Prata nasceu. Daí a importância de um CHM envolvendo o Quarteto Fantástico!

Nº 01 - Confrontos com o Dr. Destino e o Casamento de Reed e Sue; Nº 02 - Primeiros confrontos com GalactusNº 03 - Confrontos com o Quarteto Terrível; Nº 04 - Parcerias entre o Tocha Humana e o Homem-Aranha.

De forma tímida tivemos também o início de Clássicos Marvel Terror. Um gênero no qual a Casa das Ideias fez história nos anos 70!!

Nº 01 - O Renascimento de Drácula em seu Castelo - Seu Grande Retorno ao Século XX; Nº 02 - Confrontos com o BladeNº 03 - Confrontos com o Lobisomem, Orfeu, Blade e o Dr. Sun; Nº 04 - Lilith - A Filha de Drácula e As Muitas Vidas do Senhor dos Vampiros.

Outro personagem do universo sombrio da Marvel que também está chegando com sua série de encadernados da Coleção Marvel Terror é o infernal Motoqueiro Fantasma!! Confira abaixo!!

Nº 01 - Origem e primeiras histórias.


Nº 01 - Supervilões Unidos; Nº 02 - A Loucura de Magneto; Nº 03 - Confronto Final na Latvéria; Nº 04 - Supervilões Unidos.


Nº 01 - Guerras Secretas; Nº 02 - Guerras Secretas; Nº 03 - Guerras Secretas; Nº 04 - Guerras Secretas. 


Nº 01 - Os Defensores; Nº 02 - Os Defensores; Nº 03 - Os Defensores; Nº 04 - Os Defensores.


Nº 01 - O Lobisomem Ataca.

Bom amigos, é muito material clássico!! Algo super bem-vindo e fantástico!! Agora vamos aguardar novos lançamentos e conferir as atualizações aqui no Blog!
 Abração à todos!!

domingo, 17 de janeiro de 2016

Buracos Negros... Quasares... A Bomba de Sódio-Potássio e a inspiração para "Os Próprios Deuses" de Isaac Asimov


Os Próprios Deuses é um livro do Mestre Isaac Asimov publicado em 1972. Os recentes lançamentos de várias obras do famoso escritor de ficção científica pela Editora Aleph no Brasil, mostram a força da narrativa científica de Asimov. Dono de um estilo fluido e envolvente, Asimov consegue captar a atenção mesmo daquele que não se interessa tanto pelos aspectos científicos da história. Proveniente de uma geração de escritores que davam muito valor em ancorar suas histórias em bases científicas sólidas (Arthur C. Clarke e Ursula K. Le Guin são outros expoentes desta geração), Asimov conseguia ter um ingrediente diferencial, sua capacidade especulativa! Uma capacidade levada à outro nível em Os Próprios Deuses. É difícil dizer de onde Asimov retirou sua inspiração para a história, mas não consigo deixar de pensar que foi de dois grandes fenômenos cósmicos do Universo: Os Buracos Negros e os Quasares...


Buracos Negros são descritos como verdadeiros "ralos" cósmicos. Um local capaz de drenar para dentro de sí tudo à sua volta, até mesmo a luz, que não consegue escapar da força de atração gravitacional que a tudo traga para seu interior. Mas como eles se formam? Eles passam a existir a partir do colapso de um corpo celeste (ex. uma estrela) que não aguenta o peso de sua própria massa e, literalmente, acaba por desabar para dentro de si. A partir daí aquele ponto do universo passa a puxar tudo à sua volta. Para onde vai toda essa matéria/energia drenada é uma outra pergunta que sempre me fiz. Já os Quasares fazem o oposto. São colossais "gêiseres" cósmicos expelindo energia para dentro do nosso Universo. Mas de onde vem toda essa energia? Está aí uma coisa que sempre me perguntei também. Você (caro leitor) percebeu que estes dois eventos cósmicos fazem o contrário um do outro!?!? Percebeu que enquanto um drena (Buraco Negro) para algum lugar a matéria/energia de nosso Universo, o outro (Quasar) a devolve!? Mas o que isso tem a ver com Os Próprios Deuses de Asimov!? Tudo eu diria!


Ao analisarmos a grosso modo estas duas grandes entidades cósmicas percebemos que elas se parecem muito com as tradicionais "bombas" orgânicas tão comuns no nosso corpo. O exemplo mais comum que aprendemos na escola é a "bomba de sódio-potássio". Uma estratégia que nossa célula lança mão para transportar íons contra seus respectivos gradientes de concentração, ou seja, o sódio é bombeado para fora da célula enquanto o potássio para dentro. Isso ajuda a célula a se manter balanceada e em equilíbrio. A semelhança do binômio Buraco Negro-Quasar com a Bomba de Sódio-Potássio é incrível aos olhos mais leigos. Fica então a pergunta: Buracos Negros e Quasares seriam versões colossais da Bomba de Sódio-Potássio para manter nosso Universo em equilíbrio com outros Universos? Trocando a matéria/energia necessária para o equilíbrio Universal? Muito especulativo para você? Bem... Não para Isaac Asimov que (em minha opinião) trouxe daí alguma inspiração para dentro de Os Próprios Deuses.

A Bomba de Sódio-Potássio - Analogia perfeita entre Buracos Negros e Quasares

A história narra a transmutação proposital de matéria de nosso Universo para um outro, onde possivelmente vivem seres que precisam de elementos químicos daqui como fonte de energia lá. Isso aconteceria porque as leis físicas de lá fariam com que estas substâncias (relativamente inócuas aqui) se tornem radioativas lá e, portanto passíveis de emissão de energia. O contrário também nos serve. Assim, o livro se estrutura sobre um intercâmbio de matéria entre o nosso Universo e um outro, desconhecido. Proporcionando fontes de energia inesgotáveis para ambos. Mas seria isso saudável? Poderíamos nós, manipularmos leis tão acima de nossa concepção? Bem... Para isso você deverá ler o livro, pois não seria justo eu fornecer "spoilers". O fato é que Asimov ousa descrever esse outro Universo, ou melhor este "para-universo".


E aqui está outro ponto a favor da genialidade de Asimov, uma vez que ele não cede à sedução de retratar este outro Universo de forma convencional e, portanto de forma mais simples e rápida. Não!! Ele consegue conceber um outro Universo totalmente diferente do nosso, e de forma extremamente crível!! O leitor se admirará com os seres tri-unos que habitam este para-universo. Um local que, ao final da narrativa, deixa o leitor com vontade de saber mais a respeito destes outros seres.


Para o leitor já iniciado no universo literário de Asimov, Os Próprios Desuses também é uma incrível fonte de tesouros escondidos. As raízes da Segunda Fundação podem ser ali percebidas, o início da colonização da galáxia (algo bem estabelecido na Saga Fundação) pode também ser discretamente percebido, a devastação da Terra e sua passagem para o esquecimento também podem ser intuídas pelo leitor. 


Por tudo isso Os Próprios Deuses constitui-se em um livro cheio de ciência, questões existenciais, narrativa intrigante e especulação. Mas não seria da mistura disto tudo que o caminho da humanidade é feito?

Abraço à todos!!

sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

Futuros Distópicos - Parte II: Reino do Amanhã


Prezados amigos... Tudo que poderia ser sido dito a respeito de Reino do Amanhã de Mark Waid e Alex Ross já foi falado? A resposta é sim! Mas podemos deixar de falar dela? A resposta é NÃO!! E por que? A verdade é que há obras que são verdadeiros "divisores de águas", obras que sintetizam a essência da 9ª Arte Super-heroica. Reino do Amanhã é uma destas, e escrever continuamente sobre ela é mantermos acesa a chama da essência do ideais que este personagens super-humanos encarnam. Ou seja, há mais do que simples aventuras... há mais do que simples entretenimento... há mais do que simples traços artísticos... Há princípios, modelos e reflexões sobre nosso mundo... Há verdadeiros ícones que expressam o sonho da humanidade de ser mais do que aparenta...


Se você não sabe quem é Alex Ross (desenhista de Reino do Amanhã) está na hora de conhecer. Ele é simplesmente um dos desenhistas que melhor captaram a humanidade do universo super-heroico. Seu trabalho estourou nos anos 90 e desde então tem sido referência à todo desenhista que se aventura pelo mundo artístico dos super-heróis. Mark Waid (roteirista) é para mim hoje um dos escritores de quadrinhos que sintetiza tudo aquilo que eu acho importante em um artista. Em primeiro lugar sua humildade... em segundo lugar suas ideias simples, palpáveis, seus roteiros livres de excessos (que tantos escritores se valeram para ficarem famosos). e talvez sua maior qualidade: a capacidade de escrever uma HQ obedecendo parâmetros clássicos e ao mesmo tempo ressignificando-os à luz de nosso tempo.


Reino do Amanhã, republicado em Edição Definitiva pela Panini no Brasil no ano passado traz o futuro do Universo DC. Um mundo em que os grandes heróis do passado foram aos poucos se tornando obsoletos frente a uma sociedade que desejava ser mais rápida, mais intensa, mais midiática, mais violenta e mais imediatista (qualquer semelhança com nosso tempo é talvez apenas uma grande "sacada" do escritores ainda nos anos 90 - época em que a obra foi escrita (1996)). Numa Era pré internet, pré Facebook, pré whatsapp, pré Youtube e pré NetFlix, Mark Waid foi capaz de escrever algo profético, uma vez que vemos atualmente nossos grande ídolos reais do passado serem substituídos por ídolos midiáticos pobres e sem densidade humana. Fantasmas televisivos, homens e mulheres com embalagem mas sem conteúdo.


Em um cenário semelhante a este os grandes super-heróis do passado foram gradativamente passando para as sombras e sendo substituídos por uma nova geração. Novos heróis muito mais preocupados com sua aparência, desempenho midiático e promoção pessoal do que com os seres humanos. Seres sobre-humanos que se desconectaram do homem comum, do homem que sofre e labuta em um Mundo cheio de injustiças. É desta tensão que visões apocalípticas começam a brotar na mente do Pastor Evangélico Norman McCay. Em sua jornada espiritual ao lado do ser etéreo Espectro (o Espírito da Vingança), McCay conhecerá uma batalha colossal entre a inconsequente nova geração e os heróis do passado que resolvem confrontar esta nova ordem.


Com um traço realista Alex Ross constrói cenas de batalhas monumentais. Detalhe especial deve ser ressaltado à toda uma história que se desenrola no pano de fundo de cada imagem. O leitor mais observador perceberá rostos expressivos e imagens cheias de significado ao fundo de cada imagem desenhada. Assim, Reino do Amanhã se constrói como um épico que discute um mundo globalizado mesmo antes dele te-lo se tornado isso, afinal falamos de 1996. Norman McCay em toda sua fragilidade e fé é a âncora da história, mostrando o caminho e o significado da existência humana. É o homem comum que reconhece sua pequenez diante do Criador e chama a atenção à todos a respeito disto.


Quando tudo parece terminado, Waid e Ross nos presenteiam com um epílogo que, na minha opinião, constitui-se numa das mais belas sequencias dos quadrinhos. Uma sequencia que nasce clássica ao apresentar os pilares do Universo DC em um momento único, cheio de referências ao passado, com a nostalgia que cabe aos grandes ícones que habitaram nossa infância. Se você for um leitor mais sensível é possível que lágrimas escorram de seu rosto ao ler o epílogo de Waid, emoldurado pela arte humana e realista de Ross.


Apesar de tudo que já foi dito desta obra máxima, precisamos continuar falando dela para que sirva de referência ao futuro dos quadrinhos. E para que não aconteça com as HQs o que aconteceu dentro da história de Reino do Amanhã. Que as editoras não permitam e não sucumbam ao apelo mercadológico que faz com que heróis sejam pervertidos e, por razões midiáticas, sejam desfigurados para as próximas gerações. Por isso que  falar de Reino do Amanhã é mandatório e dever de todo aquele que ama os quadrinhos em sua essência.

Abraço à todos!!

domingo, 10 de janeiro de 2016

Especiais DC - O que já saiu no Brasil?! - Atualizado Julho/2016

Brinde - Batman sobre o TelhadoNº 01 - Apocalypse; Nº 02 - Darkside; Nº 03 - Crocodilo; Nº 04 - Anti-Monitor; Nº 05 - Superman Centennial ParkNº 06 - BaneNº 07 - Grodd.

Olá amigos... Recentemente publiquei os lançamentos (até o momento) das peças Especiais da Coleção de Miniaturas da Marvel. Agora é a vez da Coleção de Miniaturas da DC que também possui seu segmento Especial no Brasil e, por meio desta matéria, poderemos acompanhar o que já saiu por aqui de forma sempre atualizada. Como já expliquei em outras ocasiões, em outros países, este segmento Especial foi dividido em segmento Especial (figuras de alta estatura ou de proporções avantajadas), Mega-Especial (figuras de personagens gigantes) e Double-packs (figuras de personagens ao lado de seus companheiros de luta). Aqui no Brasil, no entanto a Eaglemoss Brasil decidiu lançar tudo sob a simples alcunha de ESPECIAIS.

Nº 08 - Solomon GrundyNº 09 - Etrigan; Nº 10 - Lobo; Nº 11 - Jonah Hex; Nº 12 - Kilowog; Nº 13 - Trigon; Nº 14 - Morcego Humano; Nº 15 - Monstro do Pântano.

A ideia desta matéria é a atualização constante a partir dos novos lançamentos de Especiais DC aqui no Brasil. Assim, poderemos ter um melhor controle geral do que saiu. Ressalto que a ordem apresentada aqui pode não estar exatamente compatível com a ordem de lançamento que cada um possui. Isso porque algumas peças saíram simultaneamente ou com certo atraso uma em relação à outra. Mas esta pequena alternância entre uma e outra peça não inviabiliza o objetivo central do post que é fornecer uma base de dados de controle da linha Especial DC no Brasil até o momento. Para todo aquele que passou pelo trauma da substituição do material de metal para resina a partir do Nº 05 resta uma mudança de percepção pessoal sobre cada peça. Uma ressignificação individual deste segmento Especial para continuar.

Nº 16 - Cara de Barro; Nº 17 - Giganta; Nº 18 - Batman e sua Moto.

Bom amigos... É isso aí. Vamos aguardar os próximos lançamentos por aqui. Grande abraço à todos!!

sábado, 9 de janeiro de 2016

Especiais Marvel - O que já saiu no Brasil?! - Atualizado Março/2017

Brinde - Abominável; Brinde - Homem-Aranha sobre o Telhado (Uniforme Negro); Brinde - Homem-Aranha sobre o Telhado (Uniforme Tradicional); Nº 01 - Hulk (Pintura Verde); Nº 02 - O Vigia; Nº 03 - Destroyer - O Demolidor; Nº 04 - Sentinela; Nº 05 - Skurge - O Executor.

Olá amigos... A chegada da Série Especial da Coleção de Miniaturas Marvel a partir de 2013 deu novo fôlego e esperança de que todas as peças da coleção realmente sairão aqui em nosso país. Mas o que já foi lançado até agora? São várias as peças que a Eaglemoss lançou por aqui desta série chamada "Especial". Tais peças possuem características específicas que as qualificam para integrar este grupo com a alcunha de "ESPECIAIS". Dentre elas: 1) personagens de maior estatura ou características físicas avantajadas (Ex. Fanático; Rei do Crime); 2) personagens em locais ou cenários exclusivos (Ex. Homem-Aranha sobre o telhado); 3) personagens confeccionados em duplas (Ex. Kazar e Zabu; Prof. Xavier e Lilandra; Manto e Adaga). Esta postagem objetiva apresentar à todo colecionador as Especiais já lançadas em nosso país para que possamos nos organizar melhor.

Nº 06 - Rino; Nº 07 - Fanático; Nº 08 - Mojo; Nº 09 - Homem-Coisa; Nº 10 - GalactusNº 11- Hulk (Pintura Cinza); Nº 12 - Manto e Adaga; Nº 13 - Ronan.

Particularmente tenho dificuldade em acompanhar tantos lançamentos que, depois de algum tempo, acabam se embaralhando em nossa cabeça. Por isso valorizo muito a existência de matérias que nos ajudam a coordenar os esforços para mantermos um controle sobre o que saiu. Este é o grande motivo deste post, que espero que auxilie a todos e que será atualizado sempre que sair uma nova peça desta linha. Lembro que a ordem das peças apresentada aqui representa mais ou menos a ordem de lançamento de cada uma delas, uma vez que algumas saíram simultaneamente ou mesmo com certo atraso em relação à outra, podendo ser que você (leitor do Blog) tenha uma percepção de ordem de lançamento diferente, mas isso é irrelevante ao objetivo da postagem.

Nº 14 - Apocalipse; Nº 15 - Kazar e Zabu; Nº 16 - ColossusNº 17 - Thanos; Nº 18 - Prof. Xavier e Lilandra; Nº 19 - Rei do Crime; Nº 20 - Odin; Nº 21 - Ômega Red.


Nº 22 - Fin Fang Foom; Nº 23 - Blob; Nº 24 - Sasquatch e Pigmeu; Nº 25 - Sauron; Nº 26 - Estrela Polar e Aurora; Nº 27 - Terrax.

Nº 28 - Modoc; Nº 29 - Gigante; Nº 30 - Abominável.

Bem amigos... Deixo meu abraço e continuo no aguardo das novas Especiais para este ano que, com certeza, virão. Assim que saírem teremos as atualizações por aqui. Ok?

Até mais!!

segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

Miniatura Marvel Série Especial Nº 05 - Skurge - O Executor

Miniatura Marvel Especial Nº 05 - Skurge - O Executor

Skurge é um personagem não muito conhecido entre os fãs mais novos, no entanto protagonizou uma das histórias mais interessantes da Era Walt Simonson à frente do Thor. Asgardiano e dono de força e letalidade comparáveis a dos grandes guerreiros de Asgard, Skurge ganhou lugar entre as miniaturas da série especial da Coleção de Miniaturas Marvel. Hoje veremos um pouco das características da peça que o representa, bem como aspectos relevantes de sua mitologia.

Miniatura Marvel Especial Nº 05 - Skurge - O Executor

A peça é muito boa e traz toda robusta estrutura óssea e muscular do personagem. Braços, pernas e cabeça desnuda trazem detalhes anatômicos adequados ao típico guerreiro. A indumentária do personagem me parece ter sido inspirada nos antigos gladiadores romanos, haja vista o detalhe do colete representando um material de metal no tronco, bem como a saia representando couro. Este, aliás é um ponto alto da peça, a modelagem da saia conseguiu reproduzir a leveza das tiras de couro dos antigos uniformes militares romanos.

Miniatura Marvel Especial Nº 05 - Skurge - O Executor

O que dá a entender é que o personagem traja uma bata azul que termina em tiras de couro. Mesmo material de suas botas e luvas. Tudo finalizado com o colete protetor do tronco. O detalhe semelhante à "pregos" nas mangas da camisa lembram os uniformes dos executores tradicionalmente descritos em livros e filmes. A face do personagem está bem modelada, permitindo a identificação real de uma pessoa, o que muitas vezes não aconteceu em outras peças da coleção que traziam personagens de face desnuda. Sobrancelhas grossas, cavanhaque e resquícios de cabelos dão o tom ao mesmo tempo sério, carrancudo e relativamente mais velho ao personagem. Não podemos deixar de falar do imponente e pesado machado que finaliza bem o conceito do personagem. Fiquei satisfeito com sua modelagem na figura.

Miniatura Marvel Especial Nº 05 - Skurge - O Executor

Quando Stan Lee criou Thor e toda mitologia Asgardiana nos quadrinhos, ele foi buscar inspiração na mitologia nórdica. Skurge, no entanto é um personagem que, embora faça parte do Universo Asgardiano dos quadrinhos, foi criado diretamente pela Marvel, ou seja, sem se basear em algum personagem pré-existente nas antigas fábulas nórdicas. Criado para ser um vilão, Skurge era um mestiço filho de uma Asgardiana das remotas Terras de Skornheim com um Gigante de Gelo. Herdando os atributos físicos da mãe, Skurge sempre foi desprezado pelos conterrâneos de seu pai, os Gigantes do Gelo, que como o próprio nome diz possuem grande estatura. Do lado materno a vida de Skurge não era menos difícil, uma vez que os asgardianos o viam com desconfiança e até o ridicularizavam por conta de seu lado paterno. Durante a Guerra entre Jotunheim (Lar dos Gigantes de Gelo) e Asgard, Skurge ganhou a fama de "Executor" por dizimar muitos Gigantes e lutar ao lado das legiões asgardianas. Após este conflito, Skurge foi reconhecido pelos seus feitos, sendo então nomeado cidadão de Asgard. Apesar disso sua vida não melhorou muito, uma vez que, passado algum tempo, o insidioso preconceito com sua origem voltou à maltrata-lo.

Miniatura Marvel Especial Nº 05 - Skurge - O Executor

Todo esse poder, virilidade e solidão chamaram atenção da ardilosa Amora ou mais conhecida como Encantor, uma das mais sedutoras e maquiavélicas feiticeiras de Asgard. Cooptando Skurge a partir de seu lado mais frágil, ou seja, sua carência afetiva, Encantor usou todo o poderio do guerreiro contra aqueles que odiava, dentre eles Thor. Unindo-se a Loki, Encantor e Skurge forjaram uma aliança que acabou por resultar em um exílio da feiticeira e de Skurge em Midgard (Terra). Nesta época Skurge fez parte de um grupo de vilões capitaneado pelo Barão Zemo, os Mestres do Mal. Encantor sempre usou Skurge e o manteve apaixonado por ela, o único tipo de afeto (ainda que cheio de interesses) que já experimentara. De volta à Asgard após o exílio, Skurge enfrentaria, no entanto aquela que seria sua mais brutal e derradeira batalha!!

Miniatura Marvel Especial Nº 05 - Skurge - O Executor

Em sua inconstância fútil, Encantor decidiu que ganharia o coração de Heimdall (o guardião da ponte do Arco-Íris). Neste processo ela evitava constantemente Skurge. Sofrendo muito o fiel guerreiro abre seu coração à feiticeira que simplesmente despreza-o, lançando um feitiço temporário que transforma seus pés em troncos de árvore e deixa-o mudo. Passado os efeitos do feitiço Skurge percebe não have lugar para si nos 09 Mundos, partindo então ao lado de Thor, Balder e os Guerreiros de Valhalla (os Einherjar) para recuperar do Inferno algumas almas levadas injustamente por Hela (a Deusa da Morte). Muitas foram as batalhas no Mundo Inferior, porém no final da incursão Skurge e seus companheiros se vêem perseguidos pelas hostes infernais sem tempo para atravessar a ponte (Gjallerbru) existente na fronteira do território de Hela. Num ato de coragem, e diante da amargura de sua vida Skurge nocauteia Thor e dirigi-se a Balder ordenando-lhe que volte à Asgard com as almas resgatadas, enquanto ele atrasaria as hostes infernais em Gjallerbru, permitindo assim a fuga dos amigos.

Miniatura Marvel Especial Nº 05 - Skurge - O Executor

Skurge postou-se na ponte e nenhum monstro sequer conseguiu passar por ele, até que, exausto, cedeu aos golpes dos servos de Hela, entregando-se assim à uma morte digna de um guerreiro Asgardiano. Seu feito seria reconhecido por todos os guerreiros de Asgard, e Thor beberia em honra à Skurge. Apenas Encantor lamentaria amargamente ter desprezado seu antigo lacaio. Ao saber que Skurge realmente se fora, talvez algo dentro de Amora finalmente percebesse que, em meio à sua arrogância sedutora e manipulação, ela realmente amava Skurge. Uma história épica com um epitáfio digno de um grande personagem. Alguém que muito sofreu pela sua origem mestiça e que, de certa forma, simula o que acontece em nosso mundo atualmente.

Miniatura Marvel Especial Nº 05 - Skurge - O Executor

Concebido como vilão, morto como herói, Skurge conseguiu, inclusive, a façanha de permanecer morto. Em dias de ressuscitações corriqueiras nas HQs é de se espantar que ele não tenha sido definitivamente trazido de volta à vida. Um expediente que banaliza as sagas atuais e pouco contribui para um universo coeso e crível.

Bom amigos... Esta é a épica história de Skurge e sua robusta miniatura na Coleção. Um grande abraço à todos!!